Simpósio: Tradução e Análise Textual

Coordenadores:
Daniel Alves (UFSC)
Roberto Carlos de Assis (UFPB)

[Scaricare in italiano] | [Descargar en español] | Download provisional translation into English]

O Simpósio de Tradução e Análise Textual se propõe a acolher pesquisas que discutem a tradução a partir de abordagens que comparam textos em relação tradutória. Para este simpósio, entendem-se as traduções como realizações textuais distintas e possíveis e não são estimulados julgamentos de valor no que diz respeito à qualidade da tradução. Mais do que apontar diferenças, pretende-se aqui discutir a linguagem como comunicação dentro de uma prática social. A partir da totalidade de recursos que a língua oferece para produção de significados, busca-se, nas escolhas linguísticas do autor e do tradutor, fomento para o debate sobre as relações de organização textual, de representação e de avaliatividade em quaisquer pares linguísticos. Embora não haja limitações em relação aos pares linguísticos trabalhados.

 

Local: Sala 231, CCE, bloco A

HORÁRIOS

PERÍODO 24 25 26
10:00-11:30 Aspectos da organização e coerência do CLG e de sua tradução para o português brasileiro – uma análise com base em dados extraídos automaticamente
Maria José Bocorny Finatto (UFRGS)

Lucelene Lopes (PUC-RS)
Alena Ciulla (UFRGS)
Traduzindo os Beatles: Diferenças e semelhanças na tradução do poeta e do músico
Juliano Costa (UFSC)
O valor de um retrato: re-instanciações de ‘The oval portrait’ de E. A. Poe
Ladjane Maria Farias de Souza (UFSC)
As representações de “você” e “you” em “Days of wine and roses” (“Dias de vinho e rosas”) de Silviano Santiago e sua tradução para o inglês
Roberta Rego Rodrigues – UFPel
13:30-15:00 Aspectos pragmático-discursivos da tradução de construções completivas epistêmicas em textos jornalísticos
Sandra Aparecida Faria de Almeida (UFJF)
As realizações linguísticas dos conflitos armados entre grupos litigantes no corpus paralelo Grande Sertão: VeredasThe Devil to Pay in the Backlands
Daniel Alves (UFSC)
Blogs segundo a Tipologia Textual baseada em Contexto: proposta para análise textual em Estudos da Tradução
Edelweiss Vitol Gysel (UFSC)
Maria Lúcia Vasconcellos (UFSC)
Elaine Espindola (Poly-U, Hong Kong)
A voz do tradutor desafiando os ‘poderes’ do Contexto de Cultura: uma análise sistêmico-funcional da primeira tradução brasileira de Jane Eyre (1847), de Charlotte Brontë
Jerusa Santos (UFSC)
15:30-17:00 Escolhas tradutórias para bulas de medicamento: exemplos com o par português-alemão
Adriana Dominici Cintra (USP)
Representação de atores sociais: as crianças de Saki
Priscila Alves de Oliveira Novais (UFPB)
Protocolo de anotação e exploração de corpus para análises discursivas
Roberto Carlos de Assis (UFPB)
Análise textual e legitimação de uma tradução
Maura Regina da Silva Dourado (UFPB)

RESUMOS

1. Análise textual e legitimação de uma tradução
Maura Regina da Silva Dourado (UFPB)
Dentre os desafios constitutivos da tradução, buscar equivalência tradutória em linguagem de especialidade demanda conhecimento do discurso legitimado e normalizado por uma esfera discursiva. Na esfera da espiritualidade, a equivalência tradutória objetiva garantir veracidade, credibilidade e confiabilidade. Nesse sentido, a tradução de textos da esfera espiritual, que preservam e propagam ensinamentos espirituais, requer, entre outras, competência terminológico-discursiva. Toda tradução dos ensinamentos da Grande Fraternidade Branca, produzidos originariamente em inglês e difundidos em português do Brasil, deve, então, passar por revisão técnica na matriz da organização nos EUA. Recentemente, a organização veio a público para desautorizar uma tradução, publicada por uma renomada editora brasileira, por não ter havido revisão técnica. Este trabalho evidenciará desencontros terminológico-discursivos entre a tradução e o original, que podem ter levado à desautorização pela organização.

2. A voz do tradutor desafiando os ‘poderes’ do Contexto de Cultura: uma análise sistêmico-funcional da primeira tradução brasileira de Jane Eyre (1847), de Charlotte Brontë
Jerusa Santos (UFSC)
Maria Lúcia Vasconcellos (UFSC).
Lincoln Fernandes (UFSC)
Examina-se a primeira tradução para o português brasileiro do romance Jane Eyre (1847), de Charlotte Brontë, intitulada Joanna Eyre (1926, 2ª edição), de tradutor não identificado, objetivando investigar: o perfil ideacional da protagonista, com base nos Sistemas de Transitividade e Coesão (cf. Halliday e Matthiessen, 2004; Halliday e Hasan, 1985); a presença discursiva do tradutor, no ‘Prefácio’ e nos capítulos do recorte deste estudo, com base nas categorias de ‘voz do tradutor’ (cf. Hermans, 1996); e as omissões do tradutor, com base nos conceitos de patronato (cf. Lefevere, 1992) e (auto-) censura (cf. Coracini, 1998). A base metodológica é informada pelos Estudos da Tradução Baseados em Corpora (cf. Baker, 1995; Olohan, 2004; e Fernandes, 2004). A hipótese inicial é que a presença discursiva do tradutor se faz notar na manutenção do perfil ideacional de Jane Eyre em Joanna Eyre como posicionamento político contra a censura sofrida pela obra de Brontë em Através dos Romances: guia para as consciências (frei Sinzig, 1915). Entretanto, os resultados mostraram que esse comportamento transgressor do tradutor não foi mantido em todas as esferas do seu trabalho, devido à (auto-) censura e ao patronato exercido pela Igreja Católica.

3. As realizações linguísticas dos conflitos armados entre grupos litigantes no corpus paralelo Grande Sertão: VeredasThe Devil to Pay in the Backlands
Daniel Alves (UFSC)
A partir do corpus formado pelos romances Grande Sertão: Veredas (de Guimarães Rosa) e The Devil to Pay in the Backlands (por James L. Taylor e Harriet de Onís), é analisada a construção experiencial do conflito beligerante entre grupos sociais, seguindo a metodologia proposta por Pagano e Figueredo (2011) e tendo como referencial teórico a Linguística Sistêmico-Funcional de Halliday e Matthiessen (2004). Trata-se de uma pesquisa em andamento, cujos dados apontam para a construção linguística do conflito sendo feita, prioritariamente, por meio de Participantes em ambas as línguas, embora haja uma tendência em construir o conflito por meio de Fenômenos (33,3%) Atores (22,2%) e Metas (16,7%) em língua portuguesa e por meio de Metas (43,8%), Atores (25,0%) e Portadores (12,5%) em língua inglesa – o que aponta para diferenças na construção do conflito nos romances.

4. As representações de “você” e “you” em “Days of wine and roses” (“Dias de vinho e rosas”) de Silviano Santiago e sua tradução para o inglês
Roberta Rego Rodrigues – UFPel
Este trabalho vincula-se às Abordagens Discursivas aos Estudos da Tradução (MUNDAY, 2012; RODRIGUES JÚNIOR, 2006) e trata da análise dos participantes “você” e “you” em “Days of wine and roses” (“Dias de vinho e rosas”), de Silviano Santiago, e sua tradução para o inglês, feita por uma tradutora em formação. Tem por objetivo principal verificar como tais participantes estão representados nos contos a partir da consideração da metafunção ideacional (HALLIDAY e MATTHIESSEN, 2004). O corpus foi anotado com categorias previamente selecionadas do componente experiencial da metafunção ideacional com posterior quantificação das ocorrências no programa AntConc. Resultados apontam que a representação dos participantes “você” e “you” é diversificada, com realizações predominantes de orações materiais, mentais e verbais em ambos os textos. Resultados também apontam como os sistemas linguísticos envolvidos apresentam suas peculiaridades do ponto de vista da elipse, por exemplo. Isto tem impacto nos dados quantitativos deste estudo em função de haver mais participantes “você” elípticos se comparado aos participantes “you”.

5. Aspectos da organização e coerência do CLG e de sua tradução para o português brasileiro – uma análise com base em dados extraídos automaticamente
Maria José Bocorny Finatto (UFRGS)
Lucelene Lopes (PUC-RS)
Alena Ciulla (UFRGS)
Este trabalho apresenta a pesquisa intitulada Recuperação da informação em representação do conhecimento em bases de textos científicos de Linguística e de Medicina, iniciada em novembro de 2012. Trata-se de investigação interdisciplinar, na qual se associam Letras/Linguística e Ciência da Computação/ Processamento da Linguagem Natural, em que são explorados dois corpora de textos científicos em português: um de Medicina, na subárea das Pneumopatias Ocupacionais, e outro de Linguística, que é o texto em português do Curso de Linguística Geral (CLG), de F. de Saussure. Ambos os corpora serão tratados linguística e computacionalmente com vistas à representação automática do seu conteúdo e à sistematização de sua informação. Nesta apresentação, destacamos alguns aspectos, como a organização e a coerência e relatamos observações iniciais sobre o corpus do CLG, considerando um trabalho de cotejo entre a tradução brasileira que conforma o corpus e o seu original em francês.

6. Aspectos pragmático-discursivos da tradução de construções completivas epistêmicas em textos jornalísticos
Sandra Aparecida Faria de Almeida (UFJF)
O trabalho fundamenta-se nos pressupostos teóricos da Linguística Cognitiva (Fauconnier (1994,1997), Langacker (1987,1990, 1991, 2008), Sweetser (1990, 1996), Talmy (1988), Turner(1991)) e dos Estudos da Tradução (Snell-Hornby (1988), Venuti (1995), Basnett (2003)), dentre outros, no tocante à questão da construção do significado no processo tradutório, atribuindo ao tradutor papel de relevância na construção de sentido. As construções completivas do tipo [X thinks that Y] e [X thinks Y] são analisadas na tradução de textos jornalísticos no par linguístico inglês/português, buscando-se verificar como o sujeito cognitivo opera a tradução das duas variantes da construção epistêmica, considerando-se que a distinção sintática em LO não se mantém na LT. Argumenta-se, pois, que o tradutor lança mão de outros recursos léxico-sintáticos para reproduzir tal distinção que é de natureza pragmático-discursiva e que as diferenças estão também relacionadas à direcionalidade do processo tradutório.

7. Blogs segundo a Tipologia Textual baseada em Contexto: proposta para análise textual em Estudos da Tradução
Edelweiss Vitol Gysel (UFSC)
Maria Lúcia Vasconcellos (UFSC)
Elaine Espindola (Poly-U, Hong Kong)
Este trabalho tem como objetivo apresentar resultados de uma de pesquisa desenvolvida na interface entre Linguística Sistêmico-Funcional (LSF) e Estudos da Tradução com foco em Tipologia Textual baseada em contexto. A base teórica está assentada na proposta de ‘Atividades Sócio Semióticas’ por Matthiessen, Wu e Teruya (2007). Apresenta-se inicialmente uma coleta de dados (blogs) relativos às tipologias textuais nos contextos do português brasileiro (PB) e inglês americano (IA). A seguir, apresenta-se a classificação dos textos coletados nesses blogs com base nas ‘Atividades Socio-Semióticas’. Após tal classificação, uma análise de transitividade é realizada com vistas a explorar a relação entre a Tipologia Textual baseada em contexto e os padrões gramaticais do sistema de transitividade que realizam os diferentes tipos textuais. Por fim os resultados dessa análise são comparados para fins de identificar diferenças e semelhanças nas configurações texto-contextuais dos dois conjuntos de textos. Os desdobramentos dessa comparação buscarão traçar um perfil ‘socio-semiótico’ dos textos analisados, visando fornecer um modelo de parâmetros textuais.

8. Escolhas tradutórias para bulas de medicamento: exemplos com o par português-alemão
Adriana Dominici Cintra (USP)
Esta comunicação pretende discutir elementos linguísticos e culturais considerados na tradução de bulas de medicamentos do par português-alemão. O gênero caracteriza-se, sobretudo, pela forte influência da legislação específica na escolha e na disposição das informações no texto e pelo alto grau de tecnicidade devido à sua inserção nas áreas médica e farmacêutica. Tais aspectos interferem nas preferências do texto de chegada, sendo dele indissociáveis. Para demonstrar a relevância desses elementos nas escolhas tradutórias, serão analisadas duas traduções de bulas de medicamentos brasileiros e alemães. A base teórica adotada contempla o conceito de textos paralelos, proposto por Hartmann (1980) e Spillner (2011) para a análise contrastiva de gêneros textuais. Com isso, justifica-se a necessidade do estudo do texto e da cultura de partida, assim como do texto e da cultura de chegada para que adaptações sejam incorporadas no processo tradutório e o produto adeque-se ao novo contexto.

9. O valor de um retrato: re-instanciações de ‘The oval portrait’ de E. A. Poe
Ladjane Maria Farias de Souza (UFSC)
Essa comunicação visa apresentar três tipos de análise contrastiva de textos em relação de tradução. Tais análises são derivadas do modelo de tradução como re-instanciação interlingual (Souza 2010, 2012, 2013). Esse modelo concebe a tradução como a re-instanciação do potencial de significados de uma instância-fonte e define o potencial de significados do texto como constituído de escolhas em três matrizes – a) a primeira se refere às escolhas sistêmicas, isto é, às escolhas de significados a partir daqueles que são disponibilizados no sistema da língua; b) a segunda se refere às escolhas instanciais (ou intertextuais), isto é, às escolhas de significados a partir daqueles disponibilizados nos subpotenciais da língua – gênero/registro, tipo de texto e texto; e c) a terceira se refere às escolhas discursivas, isto é, escolhas de leitura a partir daquelas que são feitas ou privilegiadas por determinados grupos sociais/culturais. Os três tipos de análise serão demonstrados por meio de análises do uso de recursos de valoração no conto ‘The oval portrait’ de Poe e em três traduções para o português brasileiro.

10. Protocolo de anotação e exploração de corpus para análises discursivas
Roberto Carlos de Assis (UFPB)
Inserindo-se nas abordagens discursivas da tradução de viés sistêmico-funcional, esta comunicação apresenta o protocolo de anotação para exploração do corpus paralelo composto pela novela Heart of darkness de Joseph Conrad (1899) e em duas de suas traduções, O Coração das trevas, feitas por Marcos Santarrita (1984) e por Celso Paciornik (2001). Ao aplicar a Teoria de Representação de Atores Sociais (Van Leuween, 1996) desenvolveram-se grades de anotação numérica para registrar os diferentes modos de representação de cada grupo social envolvido na novela de Conrad, bem como para atribuição de vozes presentes no texto através das diferentes formas de narração. A aplicação do protocolo, associado ao Word Smith Tools, permitiu o levantamento de padrões de representação de europeus e de africanos no texto de partida e nos textos de chegada de forma eficiente. Resultados apontaram para padrões de personalização de europeus e de impersonalização de africanos. Verificou-se, ainda, que Marlow, um dos personagens, é o principal utilizador desse último recurso de representação.

11. Representação de atores sociais: as crianças de Saki
Priscila Alves de Oliveira Novais (UFPB)
Este trabalho está inserido nos Estudos da Tradução, mais especificamente nas abordagens discursivas da Tradução, na medida em que analisa como as escolhas do tradutor influenciam na construção de sentidos e significados nos textos em relação tradutória. A análise da relação entre textos de partida e de chegada se justifica por evidenciar as diferenças e semelhanças entre os sistemas linguísticos em questão. Utilizando teoria de Representação de Atores Sociais de van Leeuwen (1997), investiga-se a representação social de seis crianças em um corpus composto por quatro contos de Saki e suas respectivas traduções para o português brasileiro. Os dados revelam que as crianças são representadas principalmente pela Personalização, sendo os meninos mais nomeados e as meninas mais identificadas fisicamente e classificadas. Este resultado sugere que os narradores de Saki tendem a representar atores sociais femininos e masculinos de forma distinta, tendência esta que é mantida nas traduções.

12. Traduzindo os Beatles: Diferenças e semelhanças na tradução do poeta e do músico
Juliano Costa (UFSC)
O presente trabalho tem por objetivo fazer uma análise comparativa entre as traduções das músicas “Ob-la-di, Ob-la-da” e “Blackbird”, dos Beatles, realizadas pelo poeta Carlos Drummond de Andrade e pelo compositor Marcio Borges. Exibiremos um breve histórico das canções, além de apresentarmos alguns componentes importantes que integram a estrutura do gênero, tais como a composição do texto e os elementos poéticos. Após essa pequena introdução, apresentaremos um rápido estudo sobre os processos tradutórios envolvidos na tradução de letras de música utilizando procedimentos semelhantes aos aplicados à tradução de poesia. Na sequência, analisaremos cada tradução, considerando o perfil dos tradutores, comparando a estrutura geral dos textos em língua portuguesa, assim como dos elementos específicos que interferem diretamente na construção de significado para a cultura-alvo, observando as suas discrepâncias e semelhanças. Ao final, examinaremos as opções lexicais dos tradutores e observaremos quais foram os sentidos produzidos pelas suas escolhas no texto de chegada e quais foram as mudanças de significado geradas por essas opções, para o público-alvo.

CRÉDITOS DAS TRADUÇÕES

Italiano: Nicoletta Cherobin

Espanhol: Rosario Lázaro Igoa & Luz Adriana Sánchez Segura

One thought on “Simpósio: Tradução e Análise Textual

  1. Pingback: Lista de simpósios | ABRAPT

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s