Simpósio PROBLEMAS ESPECÍFICOS DA TRADUÇÃO ESPANHOL-PORTUGUÊS-ESPANHOL

Coordenadoras: Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão (UFSC) e Otávio Goes de Andrade

[Scaricare in italiano] | [Descargar en español] | Download provisional translation into English]

Este simpósio aceitará trabalhos que discutam problemas específicos da tradução entre o português e o espanhol, entre os quais existe um fator relacionado ao desenvolvimento das variedades continentais (peninsulares e latino-americanas), as quais têm diferenças gramaticais, léxicas e discursivas. O fato de as variedades americanas contarem com um número maior de falantes que as peninsulares torna a questão das variedades ainda mais complexa, de modo que existe uma ampla diversidade regional (no caso da variante brasileira do português) e supranacional (no caso do espanhol) entre elas. Este último aspecto tem claras repercussões no âmbito da tradução, cabendo a possibilidade de discussão sobre se uma aposta pelo uso de modalidades mais neutras dessas línguas pode redundar na minimização de problemas na tradução de e para essas línguas.

Local: Sala 209, CCE, bloco A

HORÁRIOS

PERÍODO 24 25 26
10:00-11:30 Sobre la variación diatópica, designaciones y variación diafásico-diastrática del español en América: aporte y evaluación de los diccionarios generales del español
Félix Valentín Bugueño Miranda
(UFRGS)
A tradução dos heterossemânticos entre o português e o espanhol:uma análise sociolinguística
Valdecy de Oliveira Pontes
(UFC)
Linguística Contrastiva e Tradução: uma interface necessária no par de línguas português-espanhol
Otávio Goes de Andrade
(UEL)
Variantes linguísticas da língua espanhola presentes em exercícios de tradução propostos em livros didáticos para ensino deste idioma
Mariana Francis
(UNIOESTE, PGET/UFSC)
Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão
(PGET/UFSC)
A metafraseografia e suas contribuições para o registro de somatismos com a lexia cabeça em dicionários bilíngues na direção português-espanhol
Nomes: Tatiana Helena Carvalho Rios
(UEL )
Arelis Felipe Ortigoza
(UEL)
13:30-15:00 Problemas envolvidos nos processos de proposição de equivalentes de tradução para unidades fraseológicas entre o português e o espanhol
Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão
(UFSC)
Interferências, concepções e estratégias de tradução na legendagem para o espanhol
Mariana Ferreira Ruas
(UFV)
Identificação de tendências de tradução de mexicanismos em roteiros e episódios do Chaves e Chapolin: análise com base na linguística de Corpus e na tradução audiovisual
Orlanda Miranda Santos
(Universidade Estadual de Montes Claros / FAPEMIG / PGET-UFSC)
Accediendo a estratégias de traducción para la subtitulación: una reflexión acerca de la traducción de unidades fraseológicas en la película El secreto de sus ojos
Maria Leticia Nastari Millás
(PGET – UFSC)
Registro de gastronomismos em dicionários bilíngues na direção espanhol-português com a lexia carne
Nomes: Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão
(UFSC)
Arelis Felipe Ortigoza
(UEL)
15:30-17:00 Literatura mexicana para brasileiros: tradução anotada e estudo preliminar de um conto de José Emilio Pacheco
Clarissa Rosas
Análise da tradução para o português dos contos1667, Ciudad de México: Juana a los treinta/Juana aos dezesseis de Eduardo Galeano: por uma proposta de retradução
Aden Rodrigues Pereira
(Universidade Federal do Pampa / PGET – UFSC)
Un estudio de caso en la traducción de cuentos de Juana Manuela Gorriti
Artur Emilio Alarcon Vaz
(FURG)
Daniele Corbetta Piletti
(FURG)
Joselma Maria Noal
(FURG)
A tradução de regionalismos entre o português do Brasil e diferentes variantes do espanhol
Claci Ines Schneider
(PGET – UFSC / CAPES)

RESUMOS

1) Sobre la variación diatópica, designaciones y variación diafásico-diastrática del español en América: aporte y evaluación de los diccionarios generales del español

Félix Valentín Bugueño Miranda
UFRGS
felixv@uol.com.br

Si bien es cierto que la ferviente actividad de los centros de prestigio idiomático y la paralela irradiación de las lenguas indígenas (lengua generales) ayudaron a conformar una “imagem magna” del español en América ya en pleno siglo XVI, no es sino hasta la etapa de consolidación republicana que el castellano en el Nuevo Mundo se convirtió en un “problema” que trascendió el ámbito del buen hablar. A partir de ese momento, la discusión sobre las diferencias a ambos lados del océano se ha tornado, veladamente o no, insoslayable. El objetivo de la presente comunicación es examinar este tópico a la luz de tres ejes de inmanencia lingüística: una concepción diasistémica de la lengua, la solidariedad semasiología-onomasiología y el principio de los niveles de organización idiomáticos. Estos ejes serán proyectados a su vez sobre los diccionarios generales del español. De esta forma, se pretende ofrecer subsidios para una mejor interpretación de los hechos léxicos presentes en las obras de referencia monolingües de esta lengua.

2) A tradução dos heterossemânticos entre o português e o espanhol:uma análise sociolinguística

Valdecy de Oliveira Pontes
UFC
pluralizado@hotmail.com

O presente artigo tem por objeto o estudo dos heterossemânticos em uma perspectiva sociolinguística entre o português e o espanhol. Para tanto, fundamentamo-nos nos estudos sociolinguísticos das variedades do espanhol e do português brasileiro e expomos a metodologia utilizada para análise do heterossemânticos nos textos selecionados. Em nossa análise, tomamos por base as influências sócio-linguístico-culturais de uma sociedade sobre a teoria e a prática da tradução, considerando os processos de variação e mudança linguísticas. Constatamos que vários problemas podem acontecer, no processo de tradução de uma língua para outra, caso o tradutor desconsidere o valor estilístico e sócio-histórico dos heterossemânticos presentes no texto.

3) Linguística Contrastiva e Tradução: uma interface necessária no par de línguas português-espanhol

Otávio Goes de Andrade
UEL
goes@uel.br

A tradução, seja ela praticada como uma profissão, seja ela utilizada como uma técnica pedagógica em contextos formais de ensino de línguas estrangeiras/adicionais, invariavelmente, demanda materiais de apoio para tal prática ou utilização. Quando os idiomas são estruturalmente próximos, a exemplo do par de línguas português-espanhol, os materiais de apoio para a tradução são ainda mais fundamentais, em virtude da aparente e falaciosa facilidade de se traduzir nas duas direções desse par de línguas, que é altamente contrastivo em diferentes sistemas: fonético, gramatical, léxico-semântico, gráfico e pragmático-cultural, de acordo com a tipologia que Robert Lado postulou em 1957. Entre esses sistemas, nos interessa particularmente o léxico-semântico, na medida em que o português e o espanhol compartilham aproximadamente 85% de suas unidades léxicas, segundo indicam os resultados de algumas pesquisas. Tendo em vista esse breve panorama, e sendo o espanhol ensinado como língua estrangeira/adicional no contexto universitário no qual desenvolvemos nossas atividades profissionais, a apresentação que nos propomos a realizar estará pautada nos pressupostos teórico-metodológicos da Linguística Contrastiva, e os exemplos que utilizaremos serão oriundos do livro intitulado “Matizes do verbo português ficar e seus equivalentes em espanhol” (Eduel, 2012). Destarte, procuraremos demonstrar que o referido livro e os demais materiais surgidos à luz da Linguística Contrastiva podem minorar potenciais problemas de tradução quando as línguas implicadas são o português e o espanhol.

4) Variantes linguísticas da língua espanhola presentes em exercícios de tradução propostos em livros didáticos para ensino deste idioma

Mariana Francis
UNIOESTE – PGET/UFSC
marianafrancis@gmail.com
Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão
PGET/UFSC
adja@cce.ufsc.br

Esta proposta consiste na análise de exercícios de tradução propostos em livros didáticos de espanhol como língua estrangeira, destinados a estudantes brasileiros. Em particular, pretende-se verificar qual é a abrangência, em situações reais de uso, do vocabulário de língua espanhola considerado para as propostas de tradução envolvidas nesses exercícios. Objetiva-se constatar se existe alguma variante do espanhol que seja privilegiada por possuir uma maior abrangência de uso no mundo hispânico, ou seja, aquelas que são consideradas mais neutras ou abrangentes, ou se as variantes privilegiadas são escolhidas aleatoriamente. Como instrumento para a verificação do uso do tópico a ser analisado recorrer-se-á ao corpus linguístico CREA, o qual oferece dados procedentes tanto de fontes orais como de fontes escritas das variantes peninsulares, assim como das demais variantes desse idioma. A partir dessa análise, será possível tecer hipóteses sobre os critérios que norteiam algumas escolhas feitas pelos autores de livros didáticos na elaboração das atividades de tradução em análise, as quais, certamente, refletem crenças e posicionamentos quanto às variantes léxicas da língua espanhola.

5) A metafraseografia e suas contribuições para o registro de somatismos com a lexia cabeça em dicionários bilíngues na direção português-espanhol

Tatiana Helena Carvalho Rios
UEL
Arelis Felipe Ortigoza
UEL / PGET-UFSC

No contexto das pesquisas fraseológicas e lexicográficas, percebe-se que ainda há espaço para estudos que abordem questões como a tradução de expressões idiomáticas e a equivalência em dicionários bilíngues. Em primeiro lugar, gostaríamos de apresentar os pressupostos teóricos que orientam nossa pesquisa com base na Fraseologia (TRISTÁ PEREZ, 1988, 1998; XATARA, 1994, 1998; CORPAS PASTOR, 1996; ORTIZ ALVAREZ, 2000, 2001; ORTIZ ALVAREZ & HUELVA UNTEMBÄUMEN, (orgs.), 2011), na Fraseografia (PENADÉS MARTÍNEZ, 2003, 2005; OLÍMPIO DE OLIVEIRA SILVA, 2009) e na Lexicografia Bilíngue Contrastiva (ALVAR EZQUERRA, M. (1992), WELKER (2004), DURÃO, 2009, 2010, 2011; DURÃO, SASTRE RUANO e WERNER, 2011). Posteriormente, mostraremos os resultados de uma análise do tratamento dado a somatismos formados com a lexia cabeça em dois dicionários monolíngues, um em espanhol e um em português. Três dicionários bilíngues na direção português-espanhol também serão consultados com vistas a verificarmos como e se foram apresentados somatismos equivalentes aos escolhidos com a lexia cabeça. Além disso, consultaremos dois dicionários fraseológicos monolíngues do espanhol (VARELA; KUBARTH, 1997; SECO; ANDRÉS; RAMOS, 2004). No presente trabalho buscamos divulgar os resultados parciais obtidos no âmbito do projeto de pesquisa “Contribuições da metafraseografia para a descrição bilíngue de idiomatismos (português-espanhol)”, desenvolvido na Universidade Estadual de Londrina, no estado do Paraná. Nesse projeto, visamos aprofundar a discussão metafraseográfica bilíngue iniciada em Rios (2010), com vistas a propor alternativas para o registro de expressões idiomáticas. Outro objetivo do projeto consiste na aplicação dos pressupostos teóricos iniciais no tratamento de um conjunto de idiomatismos efetivamente usuais no português brasileiro (XATARA, 2007) e de seus equivalentes idiomáticos no espanhol peninsular. Com base nos estudos recentes da Fraseologia (ORTIZ, 2011; SILVA, 2012), da Fraseografia (PAMIES, LUQUE NADAL, PASOS BRETAÑA, 2011) e da Lexicografia Bilíngue Contrastiva (DURÃO, 2009, 2010), apresentamos uma proposta inicial para que os estudos fraseológicos e fraseográficos representem uma contribuição efetiva à descrição adequada dos idiomatismos na perspectiva bilíngue. Por último, com base nas definições dos dicionários monolíngues consultados e dos equivalentes registrados nos dicionários bilíngues, apresentaremos uma proposta para registro dos somatismos escolhidos para análise num dicionários bilíngue na direção português-espanhol. Esperamos que estes estudos possam servir de ponto de partida para propostas alternativas de elaboração de dicionários bilíngues, contribuindo, portanto, para o desenvolvimento das áreas do conhecimento mencionadas.

6) Problemas envolvidos nos processos de proposição de equivalentes de tradução para unidades fraseológicas entre o português e o espanhol

Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão
UFSC
Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq

Propor equivalentes de tradução para unidades fraseológicas de línguas não-maternas é algo desafiador, afinal a associação ocasional de palavras que, em teoria, seriam compatíveis do ponto de vista semântico, nem sempre conduz a co-ocorrências linguísticas coerentes e significativas. Vertentes desenvolvidas no âmbito dos estudos da tradução, como por exemplo, a defendida pela pesquisadora alemã Nord (1997), explicam que para propor equivalentes de tradução deve-se levar em conta o texto a ser traduzido (neste caso, aplicamos o termo ‘texto’ a unidades fraseológicas), a função (ou funções) desse texto (neste caso, usamos o termo ‘texto’ para fazer referência ao texto a ser traduzido como um todo) e a função (ou funções) da tradução a ser feita. Considerar cada um desses elementos como parte do processo de proposição de equivalentes de tradução permite que assumamos a noção de que cada ação discursiva resulta de uma construção discursiva forjada em/para uma situação específica, envolvendo atores sociais -que se situam em contextos e em períodos determinados do tempo- e códigos linguísticos específicos – que servem de base para a construção de instituição de significados no âmbito de uma interação social, congregando, portanto, história, linguagem e ação-. O propósito desta comunicação é abordar alguns problemas surgidos na tentativa de propor equivalentes de tradução para algumas unidades fraseológicas da língua portuguesa para a língua espanhola, que derivam de diferenças formais, funcionais, semânticas ou pragmáticas entre essas dois idiomas.

7) Interferências, concepções e estratégias de tradução na legendagem para o espanhol

Mariana Ferreira Ruas
UFV
frauruas@gmail.com

Tradicionalmente os estudos da tradução têm considerado o tradutor como veículo neutro, capaz de passar significados de uma língua para outra sem nenhuma modificação. Segundo Arrojo (1992) é impossível conceber a neutralidade do tradutor, pois não se pode vislumbrar um sujeito que teorize fora de um contexto sócio-histórico-cultural. O presente trabalho utiliza como corpus os diálogos do filme brasileiro Uma onda no ar (2002) traduzido ao espanhol, além de uma entrevista com o tradutor, falante nativo de espanhol. Segundo Grosjean (1999), a desativação total de uma das línguas raramente acontece. Tal fato explicaria o surgimento das interferências, que podem ocorrer em todos os níveis: fonológico, lexical, sintático, semântico e pragmático. Objetivou-se verificar o tipo de interferência presente na tradução e, através da entrevista, relacionar a repercussão nas estratégias de tradução escolhidas pelo tradutor das suas concepções acerca do que é traduzir e do que é a tradução.

8) Identificação de tendências de tradução de mexicanismos em roteiros e episódios do Chaves e Chapolin: análise com base na linguística de Corpus e na tradução audiovisual

Orlanda Miranda Santos
Universidade Estadual de Montes Claros / FAPEMIG
orlandamiranda@gmail.com

Esta comunicação pretende discutir as tendências de tradução de mexicanismos presentes nas retraduções de acadêmicos (roteiros) e nas retraduções de uma equipe de profissionais de dublagem e legendagem do seriado Chaves e Chapolin. Chaves e Chapolin são programas televisivos criados na década de 70, no México, e reprisados, no Brasil, pelo SBT. Para a realização da pesquisa, levantamos características gerais dos roteiros selecionados em espanhol e de suas retraduções através da Wordlist. Desses roteiros, foram selecionadas, com base em Ferreira (1986) e no DRAE, palavras de conteúdo e não cognatas do par linguístico espanhol-português. Analisamos as traduções dessas palavras em um concordanciador paralelo. Constatamos que as maiores dificuldades estavam relacionadas à tradução de mexicanismos (palavras e expressões típicas do México), investigadas no DBM e em Bas (2002). Procedemos à leitura e análise, e identificamos algumas tendências tradutórias. Buscamos, então, identificar e formular tendências da equipe de profissionais que atuou nos DVDs da Amazonas Filmes, levando em consideração todos os aspectos do texto audiovisual.

9) Accediendo a estratégias de traducción para la subtitulación: una reflexión acerca de la traducción de unidades fraseológicas en la película El secreto de sus ojos

Maria Leticia Nastari Millás
UFSC

Los subtítulos son, muchas veces, criticados por espectadores bilingües que los consideran inadecuados. Sin embargo, sería imposible leer un subtítulo que fuera totalmente fiel al audio original. Seguramente sería mucho más extenso de lo que se permite en ese caso, porque el lenguaje oral es más dinámico que el lenguaje escrito y la transformación de un tipo de lenguaje al otro tiene singularidades que deben ser respetadas. Por ese motivo decidimos observar algunas de las tácticas que traductores aficionados utilizaron, en la traducción de unidades fraseológicas del español al portugués, opinando si los subtítulos examinados son adecuados del punto de vista de las normas de estilo específicas da la subtitulación. Tomamos como objeto de estudio la película argentina El secreto de sus ojos, de Juan José Campanella. Como se sabe, al traducir elementos lingüísticos culturales, como las unidades fraseológicas, se debe tener en cuenta particularidades socioculturales, visto que en su construcción están imbuidas características que superan cuestiones puramente lingüísticas. De acuerdo con Strehler (2003, p.141) para traducir unidades fraseológicas es necesario, además de conocimientos lingüísticos, tener una buena noción de las civilizaciones implicadas. Estas “combinações de palavras mais ou menos fixas” (Strehler 2003, p.139) nos permiten expresar una idea o un concepto que es común a los interlocutores de una misma variedad lingüística. Justamente porque son expresiones específicas de una determinada variedad, es difícil encontrar su correspondencia exacta en otras variedades o en otros idiomas. Queremos incluir en el espectro de la discusión aspectos como la exigencia de sintetizar, de interpretar y de transferir significados de una cultura a otra sobre la base de un discurso visual y sonoro concebidos en una lengua y cultura específicas, lo que implica una dificultad adicional al trabajo de la traducción audiovisual. La base teórica ofrecida por Strehler (2003), Gorovitz (2006), Duro (2001), entre otros, nos ayudará a comprender las dificultades inherentes a este tipo de traducción y servirá de fundamento para nuestro análisis.

10) Registro de gastronomismos em dicionários bilíngues na direção espanhol-português com a lexia carne

Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão
UFSC
Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq
Arelis Felipe Ortigoza
UEL / PGET-UFSC

Esta comunicação apresenta alguns resultados de uma pesquisa que está em andamento junto ao Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em nível de doutorado e sob a orientação da Profa. Dra. Adja B. de Amorim Barbieri Durão, a qual é também um sub-projeto relacionado ao projeto guarda-chuva “”. Depois de apresentar, de forma breve, os pressupostos teóricos que orientam essas duas pesquisas (CORPAS PASTOR, 1996; WELKER, 2004, DURÃO, 2009, 2010, 2011; DURÃO, SASTRE RUANO e WERNER, 2011, e ORTIZ ALVAREZ e HUELVA UNTEMBÄUMEN, Orgs., 2011), se mostrará uma análise de registros de gastronomismos formados com a lexia carne em dois dicionários monolíngues do português -Aurélio e Houaiss-, dois dicionários monolíngues do espanhol – DRAE e DUE-, assim como três dicionários bilíngues na direção português-espanhol –Gran Diccionario, da editora Espasa-Calpe; Dicionário Larousse (Avançado) e Dicionário Escolar Espanhol-Português, da editora Martins Fontes. O objetivo da consulta feita aos citados dicionários foi identificar: a) os tipos de definições apresentadas (por paráfrase definitória ou por meio de sinônimo); b) a tipologia das definições (por equivalentes de “sistema” ou por equivalentes de “tradução”); d) a existência ou não de exemplos de uso; e e) o registro das possibilidades combinatórias das unidades léxicas, com foco no registro das expressões idiomáticas ou semi-idiomáticas. Pretende-se, ainda, propor algumas alternativas de registro de gastronomismos com a lexia em questão que, segundo nossa opinião, poderia ser mais eficaz que os encontrados nesses dicionários para propósitos de ensino do espanhol a brasileiros ou de tradução daquela língua para essa.

11) Literatura mexicana para brasileiros: tradução anotada e estudo preliminar de um conto de José Emilio Pacheco

Clarissa Rosas
clarissarosas@hotmail.com

A comunicação proposta consiste numa discussão acerca de uma tradução anotada do conto La fiesta brava, do autor mexicano José Emilio Pacheco, para o protuguês brasileiro. A tradução é precedida por um estudo preliminar sobre o conto em questão, que pretende contextualizar o leitor não familiarizado com o universo da literatura mexicana contemporânea, e nele se discutem a importância do autor, sua incursão no gênero narrativo, a exemplaridade do conto escolhido e o tema fantástico. Em seguida, são expostas considerações sobre o ato tradutório em geral e a política adotada para a tradução. Por fim, são apresentados alguns exemplos da tradução do conto propriamente dita e das notas do tradutor.

12) Análise da tradução para o português dos contos1667, Ciudad de México: Juana a los treinta/Juana aos dezesseis de Eduardo Galeano: por uma proposta de retradução

Aden Rodrigues Pereira
Universidade Federal do Pampa
PGET/UFSC

O presente trabalho pretende apresentar uma análise da tradução para o português do conto 1667, Ciudad de México:Juana a los dieciséis de Eduardo Galeano, cujo tradutor é Eric Nepomuceno, bem como propor uma retradução para estes contos. Estes contos fazem parte de uma compilação editada pela LP&M Pocket intitulada Mulheres (1999) a qual tomarei aqui como tradução da versão de uma também compilação do espanhol Mujeres editada pela Alianza Cien, de Madri(1995). A escolha dos contos a serem analisados se deu, de modo que, ao reler a obra daquele autor em português, percebeu-se que algumas escolhas do tradutor pareciam ter se dado mais livremente do que a tradução da letra conforme defende Berman (2007). Segundo este autor, como a tradução deve partir da experiência do tradutor, este, por sua vez, deveria preocupar-se mais com a letra do que com o sentido que o texto de origem – doravante TO – evoca, trazendo para o texto de chegada – doravante TC – todas as implicações que o texto tem em sua língua e cultura de origem. Assim, de acordo com as escolhas feitas pelo tradutor, como se poderia ver a tradução aqui? Qual teria sido o projeto de tradução utilizado por ele? Portanto, uma vez que não se pretende aqui fazer uma revisão gramatical da obra e sim uma análise da tradução realizada por Nepomuceno verificando onde, quando e por que seria possível propor uma retradução, tem-se em vista que, segundo Benjamin (2008) precisa-se levar em consideração as mudanças de contexto (tempo ou espaço) que por sua vez também devem mudar a perspectiva da tradução. Mais importante ainda é considerarmos, segundo Faleiros (2009) a importância de, a partir de um projeto de tradução, propormos uma retradução da obra, especialmente quando ela apresenta até então uma única versão na LC. Neste caso, passa-se a uma revisão bibliográfica acerca do trabalho do tradutor e suas implicações, bem como dos estudos sobre retradução que tem se destacado como importante trabalho a se considerar no tocante à leitura de um autor como Eduardo Galeano, levando em conta ainda as variedades continentais da língua, bem como o uso de uma modalidade mais neutra que minimize os problemas de tradução aqui encontrados.

13) Un estudio de caso en la traducción de cuentos de Juana Manuela Gorriti

Artur Emilio Alarcon Vaz
FURG
arturvaz@furg.br
Daniele Corbetta Piletti
FURG
danielepiletti@furg.br
Joselma Maria Noal
FURG
joselmanoal@furg.br

Adecuada al simposio “Problemas específicos da tradução Espanhol-Portugués-Espanhol”, este trabajo pretende divulgar la obra de Juana Manuela Gorriti (1818-1892), relevante autora argentina, con traducciones en países de lengua inglesa, pero su obra aún no fue traducida a la lengua portuguesa y, consecuentemente, es poco conocida en Brasil. Con esa finalidad, se hizo el proyecto de investigación “Juana Manuela Gorriti: análisis y traducción”, desarrollado en la Universidade Federal do Rio Grande (FURG). El proyecto propuesto tiene tanto fines didácticos y literarios, como también lingüísticos y culturales. A través de las actividades prácticas, los becarios tienen la oportunidad de desarrollar las habilidades de análisis literarios, enriqueciendo, de esa forma, su visión de mundo. Para la práctica de traducción, los alumnos usan, como herramienta de trabajo, el aplicativo WordFast® para generar memorias de traducción de una lengua a la otra, unificando el glosario léxico e histórico del equipo que integra el proyecto. Este sistema de trabajo contribuye significativamente a que los estudiantes desarrollen sus habilidades lingüísticas de comprensión y expresión escrita. Durante el proceso traductorio los aprendices han presentado dificultades con algunos términos específicos del siglo XIX y con datos históricos, sociales y culturales de la Argentina de entonces, lo que no ha sido impedimento para comprender las diferencias estructurales entre las dos lenguas. Posteriormente, tras una minuciosa revisión hecha por las profesoras que coordinan el proyecto, trataremos de publicar los cuentos traducidos en una antología bilingüe (español/portugués) de Juana Manuela Gorriti, con el propósito de difundir en nuestro país la obra de esta renombrada autora argentina.

14) A tradução de regionalismos entre o português do Brasil e diferentes variantes do espanhol

Claci Ines Schneider
PGET – UFSC / CAPES

A atividade tradutória, por mais despretensiosa que possa ser, representa incontáveis riscos. O tradutor sempre terá consigo a responsabilidade de levar a seu leitor um texto escrito por outra pessoa, em outra língua, outra cultura e às vezes, em outro tempo. Em um primeiro momento, olhos desavisados podem pensar que determinados pares de línguas oferecem não oferecem grandes dificuldades ao tradutor, como o caso do par português-espanhol. No entanto não é o que acontece, pois muitos podem ser os complicadores nesse processo, desde falsos amigos, a expressões idiomáticas. E, como se tratam de línguas que abrangem grandes extensões geográficas, as variantes linguísticas são outro fator a considerar. O que pretendemos neste trabalho é tecer breves comentários sobre a dificuldade de traduzir-se gírias e expressões regionalistas, principalmente em relação às línguas portuguesa e espanhola, observar como se comportam alguns dicionários em relação à este tema e argumentar sobre a falta dicionários especializados nesta área.

CRÉDITOS DAS TRADUÇÕES

Italiano: Nicoletta Cherobin

Espanhol: Rosario Lázaro Igoa & Luz Adriana Sánchez Segura

Anúncios

One thought on “Simpósio PROBLEMAS ESPECÍFICOS DA TRADUÇÃO ESPANHOL-PORTUGUÊS-ESPANHOL

  1. Pingback: Lista de simpósios | ABRAPT

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s